Notícias

NOTA OFICIAL - PREFEITO MUNICIPAL


Publicado em: 30/04/2020 09:38 | Fonte/Agência: Prefeitura de Prudentópolis | Autor: Prefeitura de Prudentópolis

 

 

NOTA OFICIAL - PREFEITO MUNICIPAL

Decidimos eu e o meu vice prefeito tomar a atitude de fazer o corte de nossos salários em 50% durante a crise do coronavírus, porque entendemos que se estamos à frente do Município precisamos dar exemplo.

Fazemos isso de modo espontâneo e voluntário, e pretendemos mostrar com exemplo pessoal que precisamos cortar na própria pele, e que sacrifícios são necessários para que possamos sair juntos da crise.

Temos cortado nos últimos dias algumas vantagens e benefícios temporários dos servidores públicos, tendo em vista as medidas necessárias para adequar o orçamento e preparar o município para a crise financeira que já é previsível após o encerramento da pandemia; e tomar a atitude que tomamos mostra solidariedade com estes que terão alguma espécie de impacto em suas vidas em razão dos efeitos da pandemia; assim como comerciantes, empresários e empreendedores da esfera privada, os quais estão sofrendo esta difícil situação.  

Já se projeta uma queda de arrecadação considerável, estimada em uma quebra de previsão orçamentária de mais de 11 milhões de Reais, e estamos diariamente trabalhando para adequar as finanças do município e permitir a saída da crise da melhor forma possível.

Quem me conhece sabe que não estou prefeito de Prudentópolis por dinheiro ou pelo meu salário; estou aqui porque sinto que fui chamado para esta missão que estou tentando desempenhar da melhor forma possível.

Desenvolvo um governo honesto; sem jeitinho e sem acertos; pautado na técnica da boa administração e graças a Deus estamos atingindo assim objetivos jamais alcançados em toda a história do município.

Emito a nota como Prefeito, porque é como prefeito que tenho sido atacado covardemente e injustamente em redes sociais.

Considero demagogia o que pregam nas redes sociais alguns políticos interessados em cargos públicos nas eleições deste ano, incitando pagamentos irregulares; outros que querem assumir a paternidade das obras públicas mesmo sem ter relação alguma com as realizações; assim como outros, funcionários públicos especialmente quem tem dois concursos, no estado e no município, que recebem salários astronômicos que se acham melhores e mais competentes que todos; porém sequer coragem de disputar um cargo público têm; pois escondem-se atrás da estabilidade de suas carreiras para apedrejar quem está na vida pública para ajudar a todos, inclusive a eles.

Minha equipe não é formada por despreparados ou desqualificados como outros governos já fizeram, não considero ninguém melhor ou pior, e considero justas as remunerações de quem trabalha em prol da comunidade; afinal de contas estes ao contrário daqueles que só criticam, estão aqui diariamente no fronte buscando soluções e amenizando os problemas de todos como é o caso da pandemia; enquanto alguns podem ficar no aconchego, no calor e na segurança de seus lares, aguardando o inabalável salário no final do mês.

Conclamo vocês que fazem alardes em redes sociais, que mostrem o exemplo; se incomodam-se tanto com os ganhos dos outros, cortem na própria pele e ajudem alguém, não precisa ser a prefeitura, pode ser o asilo, a ACTA, ou uma das tantas pesssoas que está precisando receber o auxilio emergencial do governo e que está tendo seu pedido negado, ou cuja análise está demorando.

Voltem o olhar para o próprio umbigo e analisem a situação como um todo, aproveitem este tempo de reflexão para analisar o contexto das coisas. Que a pandemia sirva também para nos tornarmos pessoas melhores e mais agradáveis, que a inveja e a mesquinharia possam ser eliminadas de nossas vidas assim como o vírus. Somente com a evolução do ser humano teremos um mundo melhor.

E quanto àqueles que falam o que querem e ofendem a honra dos outros escondidos atrás da tela do computador ou do celular, não achem que estão acima da lei. O direito de um vai até onde começa o direito do outro. O direito de crítica não comporta a agressão pessoal e gratuita, com o pano de fundo de palanque eleitoral. Tomaremos as medidas legais cabíveis e não aceitaremos a impunidade.